Loading...
Marcio Menasce – Em concha2018-11-19T00:50:52+00:00

Project Description

EM CONCHA

O ensaio “Em Concha” é uma narrativa poética que apresenta os catadores de mariscos da Baía de Guanabara. Ciente de que uma história é um diálogo infinito e constante entre narrador e leitor, o fotógrafo lança as imagens como ponto de partida para despertar a reflexão e as sensações do espectador. O autor se propõe a mover as peças do jogo simbólico para apresentar os marisqueiros como um grupo da sociedade que não é visto pelos demais. Eles estão nos grandes centros urbanos do Rio de Janeiro e de Niterói, mas para grande parte dos habitantes das cidades é como se vivessem invisíveis dentro de conchas.

Os marisqueiros não se misturam com o ambiente que ocupam, embora dele extraiam sua energia vital, assim como fazem os próprios mariscos. Estes últimos vivem em meio aquático, porém, encapsulados em suas conchas, não se misturam com outros seres do mar. No entanto, para se alimentarem, eles abrem momentaneamente sua carapaça, permitem a entrada da água carregada de sedimentos e as fecham novamente. Nem mesmo neste movimento, porém, os demais habitantes do meio os veem, pois a abertura é rápida e de pequeno espaço. O mesmo acontece com os marisqueiros na Baía de Guanabara. A diferença é que sue concha é simbólica. Ela é composta pelo preconceito, pelas barreiras criadas pela diferença de acesso à educação formal e ao capital, que impedem os ricos moradores da orla de enxergá-los.

MARCIO MENASCE

é formado em jornalismo e pós-graduado em fotografia e imagem. Seu trabalho é representado em Nova York (EUA) pela galeria de arte Perseus Gallery. Em 2018, foi selecionado entre os finalistas do Primeiro Concurso de Fotografia Contemporânea da América Latina, promovido pela organização Luz Del Norte. Com o prêmio, seu trabalho “Em Concha” foi exposto durante o NL Foto, festival de fotografia em Monterrey, no México.

Com o livro de artista “Em Concha”, o fotógrafo participou das feiras FotoRio Resiste 2018, no Rio de Janeiro, e nas Feiras Tijuana, no Rio de Janeiro, São Paulo e Buenos Aires, além da Feira Zum do mesmo ano, junto como o coletivo Livro Inventado. Na feira Tijuana do Rio de Janeiro, o livro foi adquirido pelo acervo da biblioteca nacional do Congresso dos Estados Unidos.

Participações em exposições coletivas:

  • “Olho por Olho: Arte e Documentação” – Galeria Aliança Francesa, 2018, parte do festival FotoRio Resiste. Rio de Janeiro (RJ)
  • “Futuro do Pretérito” – Galeria A Casa, durante o Festival Foto em Pauta, em Tiradentes (MG); e Kariok Hostel, durante o FotoRio Resiste, no Rio de Janeiro (RJ), 2018.
  • “Rubros” – Galeria Ânima, montada durante o festival Paraty em Foco, 2018. Paraty (RJ).
  • “Natureza Concreta (participação com o coletivo A Casa)” – CAIXA Cultural do Rio de Janeiro, 2017.
  • “Releituras Contemporâneas” – Pequena Galeria Cândido Mendes, Rio de Janeiro (RJ); e no Festival Paraty em Foco, Paraty (RJ), 2017.