Loading...
Felipe Fittipaldi – Senegal Rio2018-12-23T17:56:45+00:00

Project Description

SENEGAL-RIO

Na última década, o Brasil se fortaleceu como destino de emigração do continente Africano. É o maior fluxo registrado desde o período colonial quando cerca de 5 milhões de pessoas cruzaram o atlântico e fizeram do Brasil o país com a maior população negra fora do continente africano.

Dentro desse contexto, os senegaleses são responsáveis pelo segundo maior fluxo, estabelecendo comunidades principalmente nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. Apesar do Senegal não estar em guerra, é um dos países mais pobres do mundo com mais da metade de sua população analfabeta e dois terços de desempregados. O trabalho constitui uma dimensão central da vida desses imigrantes, pois é ele que vai permitir uma melhora de vida, passando por questões de moradia, segurança econômica e aquisição de posses, legitimando assim decisões migratórias.

O ensaio surge a partir da experiência pessoal do autor com um grupo de senegaleses que trabalha no bairro onde vive (Copacabana), e pretende investigar as duas questões centrais da migração senegalesa: a dinâmica laboral no espaço brasileiro e as relações afetivas com aqueles que ficaram.

FELIPE FITTIPALDI

Felipe Fittipaldi é bacharel em Comunicação e pós-graduado em Comunicação e Imagem pela PUC-Rio. Como artista visual, teve seu trabalho exposto em  Nova Iorque, Roma, Tokyo, Alemanha, Rio de Janeiro e São Paulo. Recentemente foi selecionado por Katerina Stathopoulou (MoMA) para o prêmio Life Framer Award. Em 2017 foi prêmiado no LensCulture Emerging Talents Award, POY Latam, I Mostra do Centro Cultural São Paulo (CCSP), Centro Cultural Justiça Federal (CCJF), Addis Foto Fest, Magnum Caravan e Paraty em Foco. Em 2018 foi selecionado pela World Press Photo Foundation para o 6×6 Global Talent Program.